STORY TIME | Awkard Xmas gifts

by - janeiro 07, 2018


STORY



Sabem aquelas pessoas com quem estão “constantemente”, mas que não são vossos familiares? Aqueles amigos dos nossos avós que sempre nos habituámos a ver lá por casa? Pois bem, hoje neste Story Time tenho para vos contar a história mais random que me aconteceu no natal.
 
Uma das maiores memórias que tenho dos meus tempos de criança/adolescente é de passar as férias em casa dos meus avós. Por norma, até passávamos todos o dia 24 em casa deles a celebrar o “natal”, e depois no dia 25 celebrávamos na minha casa.
A história que vos vou contar aconteceu há cerca de uns 4 anos. Como disse, sempre vi alguns “amigos” da minha avó lá em casa, quer fosse a amiga modista, ou o amigo do circulo leitores, para mim eram sempre os amigos de qualquer coisa, porque eu sempre fui horrível com nomes. Outra coisa que também acho importante referir é que eu pareço mais nova do que sou, por exemplo, de momento tenho 20 anos, mas há pessoas que acham que tenho 16, por isso tenham isso em mente durante a história.
 
Lembro-me perfeitamente de uma dessas amigas ir lá a casa e dar uma prenda de natal adiantada para a minha avó pôr na árvore, bem como aquele comentário que na altura nem liguei muito “Se não lhe servir, dê à Isabelinha (a minha mãe) ou então à Ritinha”.
Depois da sra sair, a minha avó foi ver a tal prenda para saber se lhe serviria ou não. No dia 24, já eu sem me lembrar desta história, começo a distribuir os presentes pela família até que um pacote com a letra da minha avó tem o meu nome e o da minha mãe. Na altura não percebemos, mas deixei a minha mãe abrir o pacote, e posso dizer-vos que fiquei super constrangida quando vi o que era. Todos nós quer seja nos anos, no natal ou noutra ocasião onde nos oferecem por norma peças de vestuário ou calçado, temos sempre aquela pessoa que acha que somos mais magros ou mais gordinhos, mais altos ou mais pequenos do que aquilo que realmente somos, e foi sem mais nem menos aquilo que nos aconteceu às três.
 
Basicamente, quando a minha mãe abriu o embrulho viu aquilo que parecia ser um bocado de tecido branco dobrado que, quando desdobrado, se revelaram numas cuecas gigantes. E quando vos digo gigantes, eu quero dizer GIGANTES, do estilo XXXXL, e juro-vos que não estou a exagerar. Aquilo sem dúvida alguma era maior do que aqueles sacos grandes de pano para pôr o pão e umas 4 ou 5 vezes maiores do que aquilo que, na gíria gostamos de chamar de “cuecas da avó”. O meu primeiro pensamento na altura, depois de todo o constrangimento, foi mesmo que aquelas cuecas pareciam os sacos pretos do lixo, mas com “buracos” para colocar as pernas.
 
Sim, eu já recebi roupa interior no Natal, mas por norma são peças mais discretas que não mostramos a toda a gente, e apesar de não termos andado a mostrar a toda a gente, ao desdobrarmos aquele “pedaço de pano” no ar, toda a nossa família e amigos se riram imenso. Até nós nos rimos para esconder todo aquele constrangimento. A minha avó depois contou a todos a história desde o início, o que nos fez rir ainda mais.
 
Mas apesar de esta ter sido a “melhor” parte da noite, não acabou por aqui. O tal amigo do círculo leitores costumava recomendar imensos livros para a minha avó e como eu adorava ler, ela pediu-lhe opinião sobre alguns livros, bem como sugestões de outros para me oferecer. Acontece que o sr, não sei se por brincadeira ou não, sugeriu à minha avó um livro onde “nos ensinava a crescer”, a arrumar a nossa roupa, a ajudar os papás e as mamãs, mas claramente se esqueceu da idade que eu tinha. Pois bem, na altura eu devia ter uns 16 anos e parecia que tinha uns 13, mas o sr conhecia-me. Acontece que o livro que a minha avó acabou por comprar para mim era um livro que em grande tinha num dos cantos escrito “dos 5 aos 10 anos”. E mais uma risota se instalou naquela sala. Ainda hoje tenho o livro guardado numa estante qualquer, mas como seria de esperar nunca foi utilizado.
 
Espero que tenham gostado deste pequeno Story Time. Se quiserem ver mais destes comentem em baixo e digam-me se já vos aconteceu alguma vez.
 
Xoxo,
RR
 


You May Also Like

3 comentários

  1. A história das cuecas está demais ahah! Adorei, estou mesmo a imaginar a tua cara e da tua mãe!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Instagram

    ResponderEliminar
  2. Adorei a história das cuecas! Eu acho que morria de vergonha xD
    Beijinho**

    https://tinygirlreviews.wordpress.com

    ResponderEliminar
  3. Adorei imenso ambas as histórias haha Acho que nunca me aconteceu, mas a tua forma de a contar ajudou a ter ainda mais piada e sim, traz mais "story time" aqui ao blog 😊
    Beijinhos

    www.underground-beauty.blogspot.pt

    ResponderEliminar